4 mudanças no cenário das embalagens durante a pandemia

Resolvi escrever esse post para refletirmos sobre as mudanças no mundo das embalagens diante do novo cenário de consumo “pós” pandemia.

Muita coisa precisou se ajustar e se adaptar, certo? E com isso vieram novas perspectivas, tendências, sustentabilidade, inovação e novos modelos de negócios.

Separei nesse post 4 mudanças de comportamento do consumidor que impactaram no mundo das embalagens nos últimos meses:

  1. Novas dinâmicas de compra

A primeira grande mudança que pudemos perceber foram as novas dinâmicas de consumo. Elas impactaram principalmente o produto na gôndola, já que muitos consumidores passaram a receber o produto em casa, reduzindo a sua ida ao supermercado. Essa nova dinâmica precisou trazer mudanças rápidas no material da embalagem produzida, uma vez que os consumidores começaram a precisar higienizar as compras sempre que chegassem em casa.

Outra grande mudança foi o ato de “não tocar” nas embalagens lá na gôndola do mercado. Muitas empresas utilizavam a experiência tátil (com acabamentos, vernizes ou papéis texturizados) como fator diferencial e precisaram se reinventar e buscar novas soluções para atrair a atenção do consumidor na gôndola – e na internet, sem a necessidade do toque desnecessário. Como resultado, surgiram soluções menos viciadas e mais inovadoras.

É possível notar que os novos consumidores querem embalagens mais honestas, verdadeiras, fáceis de entender, achar, ler, compreender e escolher. A frase “menos é mais” nunca foi tão verdadeira.

Mudanças de comportamento do consumidor que impactaram no mundo das embalagens nos últimos meses.

2. A busca por produtos mais sustentáveis

Outra grande mudança observada foi um aumento de consumidores preocupados (finalmente) com a reciclabilidade e que buscam por embalagens otimizadas, reduzindo o lixo e o desperdício de alimentos.

Um dos motivos para essa mudança pode ter sido devido ao aumento do estilo de trabalho home-office. Em casa, as pessoas começaram a perceber a quantidade de lixo gerado por dia por uma única pessoa e, tais reflexões, impactaram na compra dos produtos no mercado. Muitos consumidores passaram então a buscar por embalagens sustentáveis, com redução de materiais ou que garantissem a retornabilidade ou reciclabilidade na hora do descarte.

Aos poucos os consumidores também começaram a entender a importância de comprar embalagens que utilizem selos de comprovação ambiental, como o FSC, o Eu Reciclo, Rainforest, entre outros. A conscientização dos consumidores durante a pandemia teve um grande avanço nessa questão.

Mudanças de comportamento do consumidor que impactaram no mundo das embalagens nos últimos meses.
LADUREE ECO FRIENDLY COLLECTION by BEMAD

3. Transformação digital

Apesar de sabermos das mudanças que vimos acontecer no mundo material/físico, a grande mudança foi mesmo no âmbito digital. As empresas precisaram se reposicionar no mercado e toda a lógica anterior de criação tradicional precisou se reinventar. A nova onda é fugir da monotonia e explorar novas estratégias de comunicação nas embalagens – considerando que a embalagem também deve estar 100% inserida nos dispositivos mobile, tablets e desktops.

Para isso nunca foi tão importante nos preocuparmos com os fundamentos de design, o público-alvo que vai comprar o produto, além de aplicar conceitos de UX (experiência do usuário), considerando quem vai manusear o produto, e UI (Design de Interface do Usuário), considerando a hierarquia de informação para uma boa pregnância visual.

Mudanças de comportamento do consumidor que impactaram no mundo das embalagens nos últimos meses.
Poiema, Part II

4. Linguagem conectada

Além de proteger os alimentos e diversos produtos, a embalagem sempre foi uma forte expressão da marca. Em um mundo pós-pandemia esse cenário ficou mais ainda claro, deixando as embalagens com mais força estrategicamente. Atualmente a comunicação é o ponto fora da curva que podemos reforçar. Usar as embalagens para conversar com os consumidores, estabelecer vínculos fortes, gerar empatia, mostrar verdadeiramente o que você está comprando e assim estreitar relacionamentos.

A linguagem precisa estar conectada com o digital. Para além de uma simples inclusão do QR Code, mas a inclusão de um complemento digital que realmente traga benefícios aos compradores, mostrando tudo o que puder fazer o consumidor ter mais segurança sobre o que consome. Na hora de escrever o site da empresa, o ideal é trazer sempre uma chamada de ação junto com o www, o famoso CTA: “acesse o site e confira”, por exemplo. Outra ideia é sempre fazer uma chamada para as redes sociais, isso mostra mais proximidade nesse relacionamento com o consumidor.

Afinal, a embalagem precisa se comunicar sozinha diante do consumidor.


E como fica o papel da embalagem nesse novo cenário?

Quero deixar aqui a indicação do 19º Congresso Brasileiro de Embalagem da ABRE, que vai falar justamente sobre qual o papel da embalagem nos novos desafios das marcas. É muito importante nós, designers, termos essa percepção sobre o mercado e sobre o comportamento do consumidor em tempo real, já que tudo muda o tempo todo de forma muito rápida.

No congresso será possível entender como o mercado de bens e consumo está se transformando e quais os caminhos para as marcas, sejam pequenas, médias, ou grandes, construirem a sua relevância no mercado, e como a embalagem deve fazer parte desta estratégia.

O papel das embalagens nos novos desafios das marcas

Programação, informações do evento e inscrições: www.congressoabre.org.br
O evento acontecerá entre os dias 21, 22 e 23 de setembro de 2021.

Gostou desse conteúdo? Veja outros textos sobre embalagem aqui no blog.


Fontes utilizadas para este artigo:

  1. Congresso ABRE 2021 – Dias 21, 22 e 23 de Setembro de 2021
  2. Artigo Embalagem Marca
  3. Embalagem simula bochechão de esquilo – Update or Die
  4. Aprendizados para a embalagem pós-crise – Fabio Mestriner
  5. ABRE – Fórum de Economia Circular